quarta-feira, 8 de abril de 2009

Momento Poesia: Pobre tolo ariano

Título: O tolo ariano
Autor: Fabio Machado

Fito-a na penumbra, despida de incerteza
Só o amor recobre seu corpo e transborda
Invade minh'alma como a brava correnteza
Quando o astro nasce e sua luz me acorda

Suas curvas me remetem à dança do oceano
A leve brisa acaricia as longas madeixas
Estou entregue, sou um pobre tolo ariano
Inspirado por ti, enamorado, sem queixas

Moça, por que você não me dá uma chance ?
Posso não ser o tal príncipe encantado
Posso não ser Dom Juan ou ás do romance
Mas quero te amar, morrer teu namorado


Saudações fraternais,

Fabio Machado.

4 comentários:

Rafael Castellar das Neves disse...

Muito bom, Machado!! Gostei muito do que encontrei por aqui! Parabéns!!

Larissa Tezolin disse...

Muitoo bom o blog e a textura do poema...os sentimentos envolvidos e a pura palavra expressa "amor",é a q me fascina e me enche de vida...
bjos me visita? ;)

Raquel Medeiros disse...

Oi, Fabio!
Nem vou perguntar se está tudo bem - acho que tudo deve estar maravilhoso,vide o encantamento que tua poesia exala!!!
Fiquei muito bem impressionada com o cuidado e apego com que a escreveu.
Depois dela, posso pensar que somos os "ultimos romanticos dos litorais desse oceano atlântico", como canta o Lulu.
Beijos

Larissa disse...

Muito legal! Lembrei da música do Zeca Baleiro: "Sempre que te vejo assim, linda, nua e um pouco nervosa, minha velha alma, cria alma nova. Quer voar pela boca, quer sair por aí, e eu digo calma alma minha, calminha!"

Haha
:*