terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Momento Poesia: Quando a inspiração bate à porta

No "post" anterior eu comentei sobre o blog da Raquel Garcia http://www.minhaspequenaspalavras.blogspot.com/
Apesar de ela escrever poesias contemporâneas livres, as quais não exigem rima, métrica e forma, eu sou muito atraído pelo conjunto da obra. Por algum motivo aqueles versos me inspiram e não é raro eu escrevo um comentário, tanto em verso quanto em prosa. Muitas vezes eles parecem uma psicografia de tão extraorinários que são.

Hoje eu li um texto dela muito lindo. Triste, melancólico, mas ao tempo sublime, puro. http://minhaspequenaspalavras.blogspot.com/2009/01/sinto-me-doente-por-dentro-tentando.html
Das profundezas do meu eu brotaram as palavras abaixo.

"Só aquele que se entrega a si mesmo e ao outro é capaz de viver algo assim tão profundo. Só aquele que tem a coragem dos guerreiros é capaz de declarar seus medos. Só aquele que conhece o amor é capaz de sentir a presença de Deus dentro de si.
O amor não tem oposto, mas nós somos frágeis e por vezes a dor é uma insistente contraparte que nos assola. Ela manifesta o nosso desejo de continuar amando e só cessa quando percebemos que o amor é infinito e cabe a nós buscar os canais até ele."



O novo velho eu
Por: Fabio Machado

Suas palavras me inspiram; profundamente.
Como se despertassem em mim outra entidade.
Muito, mas muito mais capaz do que sou.
Leio minhas próprias frases, mas não me reconheço.
Sou o fantasma de um sábio ancião;
bem-aventurado, inebriado, resoluto.
Encerro-me em mim mesmo, como círculo perfeito.
Despeço-me em seguida, furtivamente.
Já mudado pelo toque senil. E assim me vou.
Já com alguns cabelos brancos.
Um pouco mais ele, um pouco menos eu.
E sigo...
Tornando-me lentamente quem um dia serei:
O velho, o novo eu.



Saudações fraternais,

Fabio Machado.

5 comentários:

Raquel Oliveira disse...

...
Sem palavras!
Eu ainda não tenho a dimensão que as minhas palavras são ao serem lidas.
O que falo ali e tão real, sai sem eu reler e corrigir as vezes, como um desabafo ou um momento de segundos de pensamentos e muitas vezes bagunçados como já viu.
Ter seus comentários ali me alimenta em aperfeiçoar o que escrevo e ainda mais em motivar minha mente a escrever ainda mais.
Hoje vejo que não deveria ter excluído meus posts antigos, mas sem lamentações, certo? Já foi e não posso voltar.
Meu blog virou um cantinho escondido de pensamentos e virou uma maneira de expor sentimentos e conversar comigo mesma.
Obrigada pela homenagem seu moço! E sou uma admiradora de blogs e estou a procura de aprender sempre mais.
Adorei de coração.

Bjos

Jorge disse...

".... Só aquele que tem a coragem dos guerreiros é capaz de declarar seus medos..."

Profundo e muito bom.

E eu, pegando emprestado a idéia do poeta e cancioneiro contemporâneo que nem lembro seu nome, diria mais. O grande Guerreiro não é aquele que não tem medo. O Grande Guerreiro é aquele que tenta descobrir a origem de seus medos. Passar pela Noite Escura e sobreviver a ela. O único medo que os grandes Guerreiros têm (que se foda a nova ortografia) que é o de fugir dessa luta.

“Nada a temer se não o correr da luta
Nada a fazer se não esquecer o medo.
Abrir o peito a força numa procura
Fugir das armadilhas da mata escura.”

Keep walking.

Você está no caminho certo, meu parceirinho.

Abração
Jorge

Interligada disse...

Oi Fábio..
obrigada pela visita!
Gostei muito daqui tbm.. Muito bons os seus textos.. vou dar uma lida nesse blog que vc indicou tbm.

Já tô 'seguindo'..rs
Beijinhos

Nathália Pimentel disse...

Fábio.. te indiquei o Selo Dardos..
Dá uma olhadinha la no meu blog!! Vc merece!!

Esse é o link do selinho pra vc pegar!!
http://1.bp.blogspot.com/_llmz4HM8L8o/SXX2cBSxGnI/AAAAAAAAEmU/i3k_wlGu0dM/S240/imagem.jpg

Bjos =*

Raquel Oliveira disse...

É... a coisa aqui ta profissional...