sábado, 25 de dezembro de 2010

Não leve a vida tão a sério

Eu acredito que a Vida seja um sistema livre, independente da existência de um Observador Externo, um Deus, um Arquiteto que admira sua obra; e se não há controle ou determinismo, nosso livre arbítrio se torna uma arma poderosa ! Essa ideia não é incompatível com qualquer conceito "extra-mundano", pois mesmo Dharmas, Karmas, obsessões, milagres... manifestam-se no plano terreno, seja nessa vida (ou em outra para os que como eu acreditam), e se somos capazes de perceber ou reconhecer esses fenômenos somente aqui, minha crença não desabona outros planos existenciais.

Então, de maneira super simplificada, a Vida pode ser interpretada como um supersistema, um conjunto de entidades que interagem através de fluxos de materia, energia e informação, respeitando regras e buscando objetivos (conscientes ou não). Por exemplo, num ecossistema primário um dos objetivos é perpetuar-se e as regras são as leis da Natureza.
Uma boa abstração a partir desse ponto me fez pensar um dia que sou apenas um microssistema que processa os inputs que recebe do mundo e entrega de volta outputs personalizados para uma rede incomensurável de microssistemas que fazem a mesma coisa. Agimos em função de leis que herdamos, de leis que observamos e de leis que inventamos, mas Eu não controlo nada, Eles também não. E se não há controle externo e nem interno... tcharam... o sistema é livre ! Toda a sensação de que controlamos e somos controlados é uma grande ilusão, que acaba afetando a forma como funcionamos (entenda-se vivemos). Esse é o primeiro ponto importante desse devaneio...

O segundo ponto chave dessa questão existêncial é a pergunta: faz diferença pra Vida (supersistema) como cada entidade (microssistema) funciona ? A minha resposta é: NÃO !
Nem mesmo a morte de uma entidade qualquer é capaz de mudar a Vida, na medida em que não altera nem as leis que a regem, nem os seus objetivos.
Sou, então, obrigado a me questionar o seguinte: Qual é o objetivo do supersistema Vida ? A minha resposta hoje é: EVOLUIR !
Apesar de evolução ser por si só um conceito complexo, essas duas respostas objetivas me levam a uma conclusão importante: Para o bem da vida, eu sou o que há de mais importante pra mim mesmo !

Esse objetivo da Vida só será alcançado, mesmo que de maneira não-linear e incontrolada, se cada um de nós evoluirmos individualmente. É a partir dessas resoluções que eu tento incorporar o máximo de positividade possível, o tempo todo, tentando não me deixar abater pelos "desprazeres" por muito tempo.  Esse é o melhor presente pra mim e, quem sabe um dia, pra todos nós.

Portanto, minha mensagem natalina se resume a uma frase: não leve a vida tão a sério !


Saudações festivas,
Fabio Machado.

3 comentários:

Dani disse...

Adoro essa frase! :)

Ana Luisa disse...

Oi, Fábio!

Não levar a vida tão a sério foi uma das lições que aprendi em 2009, mas levei pau na matéria em 2010. rsrs
Recuperação em 2011!
Hoje estava pensando justamente nesta frase pela manhã e eis que a encontro no seu blog!

Boa saída para o inferno...

Anônimo disse...

Saída de emergência! Ótima válvula de escape.